Seguidores

30 de nov de 2009

VENTO SENTIMENTO


" O vento pode chorar,
Lágrimas derramar.
Morrer nas águas do mar,
Pode para longe ir
Pode para sempre partir.
Mesmo assim ...
Será um eterno vento.
Jamais um capricho do tempo.
Não apenas um passar
Sem algo deixar ou levar.
Assim são algumas paixões ...
Ventos vestidos de sentimentos "

=- Bruno de Paula -=

DIFÍCIL ESQUECER


" Como esquecer um amor ...
Se quando olho, para outros olhos,
Vejo os teus olhos, olhando os meus.
Se quando beijo outra boca,
Sinto o gosto dos lábios teus.
Se quando toco outro corpo,
Fica na minha pele, o doce perfume teu.
Como ignorar essa loucura,
Esse amor ... Essa paixão ... "

=- Bruno de Paula -=


28 de nov de 2009

CONVITE


" Fita-me, com os olhos da tua Alma
Abraça-me, com a força dos teus anseios
Beija-me, com a intensidade dos teus desejos
Sinta-me, com a ternura e leveza de um beija-flor "

=- Bruno de Paula -=


COMO UMA BORBOLETA


" Lendo o teu sorriso,
Soltei minhas palavras ao vento
Como se fossem uma borboleta
Que voa sob o manto do luar
E o brilho das estrelas,
Beijando os mais belos jardins.
Trazendo nas asas,
A essência da tua Alma
O perfume do teu corpo
A doçura do teu olhar
O néctar dos teus lábios ... "
=- Bruno de Paula -=

NÃO ME SACIA


" Só o pensar,
Já não me sacia ...
O que tiver que acontecer,
Que aconteça agora.
Mata minha sede,
Entra na minha Vida
Assim como quero entrar na tua ...
Intenso e cheio de desejos "

=- Bruno de Paula -=

FORMAS E NORMAS


" Vagueio pela noite.
Abraço a Lua nua,
Em meio aos beijos
Dos enamorados.
Tudo chega a cada instante ...
Uma vida, um sonho, um pedido de amor.
Aqui tudo ocupa o teu lugar.
Perante meus olhos,
Futuros amores com destinos marcados
Desfilam indiferentes
Diante deste Poeta viajante.
Estendo meus braços
Abro as cortinas do tempo-espaço.
Meus pensamentos, vagos e frágeis
Correm ecoando caminhos intermináveis
Do amor, da paixão e da solidão.
Já "amanhece", fecho as cortinas,
Despeço-me da Lua amada.
Retorno ao meu tempo-espaço,
Com mais um aprendizado ...
Mudam-se as formas,
Nunca as normas ... "

=- Bruno de Paula -=

27 de nov de 2009

TALVEZ


" Talvez teu olhar
Não seja teu maior segredo.
Talvez teu Poema
Seja um grito fugindo da solidão.
Talvez tua essência
Seja um eclipse da tua alma,
Oculta na multidão.
Mais sobre ti ?
Talvez não consiga definir.
De resto, não te conheço.
Sei que és do mundo
A que pertenço.
Talvez ... Basta "

=- Bruno de Paula -=

CONTINUO


" Mesmo a Vida conduzindo-me
Entre aspas, parênteses e reticências
Não consegui ser diferente.
... Contrariando a grande maioria
Continuo sendo o que sempre fui,
Verdadeiro ... "

=- Bruno de Paula -=

25 de nov de 2009

CICLO


" Laranja madura
Colhida no alto da colina
Depois de espremida
Foi-se o sumo
Acabou-se a doçura
Veio a secura.
Jogada ao chão,
Lamenta pelas sementes.
Ali largadas ...
Clamam pelas águas "

=- Bruno de Paula -=

MEU QUERER


" Difícil explicar
Todo este meu querer
Esta louca vontade de você.
Talvez ... Anormais e Imortais
Consigam me entender "

=- Bruno de Paula -=

24 de nov de 2009

VÔO DA ETERNIDADE


" Sob todos os céus,
Invoco o teu amor.
Palavras que ecoam a tua procura,
Falam-me da tua partida.
De que tua alma
Já flutua em meio as nuvens,
Em seu vôo, para eterna liberdade.
Resta-me agora
Descer minhas pálpebras
Fechando assim
As janelas da minha Alma "

=- Bruno de Paula -=

NÓS TRÊS


" Tempo e Palavras, são livres ...
Não sou o dono deles,
Nem eles de mim.
Sentimo-nos
Mais a vontade assim ... "

=- Bruno de Paula -=

MATEMÁTICA DA SAUDADE


" O que Falta-me de momentos contigo,
Sobra-me em saudade,
Multiplicada pela tua ausência,
Sem ter como Dividir,
Esta dor com ninguém ... "

=- Bruno de Paula -=

23 de nov de 2009

NOSSO TEMPO


" Desejar-te
Em meus braços
E um dia poder chamar-te
De Minha Mulher ...
Faz-me suplicar ao Tempo
Para que o Hoje seja breve
E que o Amanhã
Não demore "
=- Bruno de Paula -=

22 de nov de 2009

ENTRA NA MINHA VIDA


" ... Te amo
Nas entrelinhas de um poema
Que a Vida, dia após dia,
Inspira-me escrevê-lo.
Sou pequeno ...
Longe dos teus olhos.
Sou Frágil ...
Distante dos teus carinhos.
Entra na minha vida,
Cuida do meu coração.
Já não mais suporto esta dor,
Leva-me onde você for ... "
=- Bruno de Paula -=


POEMA DE UM ADEUS


" Tenho diante dos meus olhos
O adeus de um coração,
A voz de uma Alma.
Deixados neste papel,
A tinta de lágrimas ... "

=- Bruno de Paula -=

21 de nov de 2009

MEU PRISMA


" Depois da tempestade
Sempre vem um lindo arco-íris .
Dele ...
Faço meu tobogã.
Divirto-me como criança.
Do longínquo horizonte,
Onde muitos desistem
No meio do caminho,
Descobri a Terra do Faz de Conta.
Lá ...
Realizo todos os meus sonhos.
... E assim vou vivendo.
Feliz ... Muito Feliz !
E ainda, tem gente que não acredita ... "
=- Bruno de Paula -=

REAL PRESENÇA


Sutilmente,
Teus sedentos desejos
me acordaram,
Quando em meus sonhos
Saciava-me dos meus,
Na tua doce pele.
Brisa mensageira do prazer,
Trouxe-me teu perfume,
Aguçando meus profanos desejos.
Porém ...
Dos sonhos inacabados,
Tua surreal presença privou-me.
Deixando mais uma vez,
Uma louca vontade
Da tua real presença,
Ainda ausente ...
Em minha cama "
=- Bruno de Paula -=

LÁGRIMA


" Lágrima ... Pequena pausa,
Quando não há mais diálogo
Entre dois corações ...
Prova única e visível,
Que a Alma,
Também sofre por amor "

=- Bruno de Paula -=

CHUVAS DE VERÃO


" Não se deixe iludir
Pelas barulhentas chuvas de verão.
Tua aparência logo nos encanta.
Porém ...
De tão curta intensidade,
Dissipam-se com facilidade.
... São águas passageiras
Que não matam a sede,
E nem refrescam a Alma.
Formam-se a todo instante,
Nos proporcionando
Doces ilusões ... "

=- Bruno de Paula -=

JARDIM

" Se um dia você resolver
Pegar uma flor em teu nome
E guardá-la só para mim,
Não fique triste ...
Deixei para você,
Todo um jardim "

=- Bruno de Paula -=

TEU VOAR


" Alguém muito especial,
Que ao meu lado,
Por instantes ficou.
Com um doloroso adeus,
Outro rumo, o destino impôs.
Deixando-me como presente,
Tua mais nobre essência.
... Enquanto eu respirar
A Terra girar
O tempo passar,
Estarei sobre a pedra
Gasta e incerta,
Contemplando o mar
Versejando à beira-mar
Observando bem de perto,
O teu majestoso voar ... "

=- Bruno de Paula -=

PENSANDO


" ... Às vezes,
Me pego pensando em ti ...
Como o frescor da manhã,
No meu rosto.
Que eterno ...
Nunca me chegou "

=- Bruno de Paula -=

PESO DE UMA VIDA

" Se a Alma
Tivesse o peso de uma Vida,
Todo ser humano,
Não caminharia.
... Rastejaria "

=- Bruno de Paula -=

20 de nov de 2009

MORTE SURREAL


" ... Desperto,
No alvorecer da ilusão.
Ao meu lado, meus sonhos
Espalhados pelo chão ...
Pela fresta da janela,
Piedosos raios de sol
Aquecem meu corpo nu e frio.
A vida me convida, para um mundo,
Que hoje, me priva das emoções.
Assim vou vivendo e convivendo,
Na presença de um sentimento
Que me cobre, com o teu negro manto.
Uma imagem, que ninguém vê.
A morte vestida de farsa ...
A que nos nega o pensar, o sonhar.
Uma morte, surreal ... "

=- Bruno de Paula -=

19 de nov de 2009

ESQUECIMENTO

" Quando você
Não me encontra
em teus pensamentos,
Sinto-me, repleto do nada ...
Alma perdida,
Vagueando na absoluta escuridão,
No mais profundo vazio,
Chamado esquecimento ... "

=- Bruno de Paula -=

ALMA SOFRIDA


" O que me cansa,
Não é a minha idade,
Não é o tempo,
Não é fadiga.
E sim ...
A minha, tão sofrida Alma,
Já enfraquecida,
De tantos sentimentos ... "

=- Bruno de Paula -=

18 de nov de 2009

NUVENS E PENSAMENTOS


" Nuvens ...
Sempre passageiras.
Formadas por gotas,
Vindas do "sêmen" do mar.

São almas desprendidas,
Livres para flutuar.
São sonhos alados,
Longínquos e desejados.

Pinturas de poucos tons,
Manchando o azul celeste.
Montadas sobre o vento,
Bailando sem direção.

Nuvens são pensamentos ...
Vão e voltam.
Nascem a todo instante.
Dissipam-se no tempo ... "

=- Bruno de Paula -=

17 de nov de 2009

RETRATO DE UMA ALMA


" Sou recipiente
Sou pote, sou vaso.
Minha alma, de água límpida
Entorna-se a cada espasmo.
Fazendo-se praia em maré vazante.
Praia deserta ...
Confidente das ondas,
Que marulha a solidão,
Trazendo saudades
Em meio, as mansas marés ... "

=- Bruno de Paula -=

POLIGLOTA


" O Olhar
É o maior poliglota do mundo
... Fala todas as línguas
E quem o " ouve", não necessita
De intérprete..."

=- Bruno de Paula -=

16 de nov de 2009

MEU OÁSIS

.
" Vagueio pelo escaldante deserto da tua ausência.
Toco meus lábios secos, sedentos por teus beijos.
Tua imagem, desbota-se diante da minha retina.
Meus passos, neste mar de areia, só ecoam teu silêncio.
A letargia, chama-me para mais um reencontro,
Meu corpo, não mais quer, acordar sem o teu.
Não consigo mais traduzir meus devaneios,
Já cansados das miragens.
Jogo minhas palavras, em meio a tempestade de areia,
Na infinita esperança, que as encontres
E consigas sentir, o que não posso dizer-te.
Tanta saudade , faz do meu discreto sorriso,
Cromatizar-se na cor solidão.
Sei que no final deste martírio,
Um oásis ... Saciará esta sede.
Como a flor do deserto, se abre para o sol,
Abrirei meus braços e te saudarei
Com sorrisos, o teu regresso ... "

=- Bruno de Paula -=

ASSIM TE VEJO



" Tua essência
Faz-me, lembrar a chuva
Que a natureza, tanto anseia.
... Por onde passas
Jardins florescem
Trazendo Vida,
Em Terras sequiosas ... "

=- Bruno de Paula -=

PORTO SEGURO


" Já cansado e desiludido deste mundo,
Lançei ao vento, as velas dos sonhos.
Navegando em mar aberto e sem destino ...
Tempos à deriva, em meio as tempestades,
O mar, fez-me aportar em teus braços.
Fazendo-te,
o meu tão sonhado refúgio.
Trazendo ...
Nos olhos ... As cores do arco-íris.
Na voz ... O sussurrar do vento.
Nas mãos ... Afagos feito brisa.
No ombro ... a força de um rochedo.
No colo ... a maciez da areia,
Onde alí adormeci,
Não querendo mais partir ... "

=-Bruno de Paula -=

14 de nov de 2009

ANJOS MENSAGEIROS

"Como ainda não sei rezar...
Ofereço rosas brancas,
Aos meus anjos mensageiros.
Em um pedacinho de papel,
Deixo minhas esperanças
E no cantinho inferior,
Meu nome completo "

=- Bruno de Paula -=


RESTA - ME

" Quando o amor
Já não é mais verdadeiro,
Até as flores pesam.
Perfume, já não mais exala.
Resta-me...
Das lágrimas, extrair o sal.
E com o coração...
Regar jardins sequiosos "

=- Bruno de Paula -=

GESTO DE AMOR


" Nesta árida estrada,
Chamada VIDA...
A cada gesto de amor,
Mais uma flor,
Brota no teu caminho.
Perfumando e colorindo
Teu destino..."

=-Bruno de Paula -=

13 de nov de 2009

BANCO DO JARDIM


" Queria ser como o banco de madeira
No jardim das flores, ao lado do coreto,
Na Praça Campos Salles, em sua consciência.
Tempo atrás, inerte e insone
Alheio a chuva e ao vento.
Testemunha dos amores e desamores,
Risos e choros,
Paixões e ilusões.
Dando o teu colo e por várias vezes
Álibi da solidão..."

=-Bruno de Paula -=


12 de nov de 2009

SELVA DE PEDRA


" Esforço-me
Para não perder a sensibilidade.
Não perder a leveza do ser.
Com dificuldade procuro respirar,
Em meio a gigantes de concreto,
Que aqui, diariamente se proliferam.
Homens e máquinas,
Passando como um rolo compressor,
No pouco que ainda há do "nosso" verde,
Matando aos poucos, nosso tão sofrido pulmão.
Encontro-me perplexo,
Diante o descaso das autoridades.
Da galopante indiferença entre seres humanos.
Luto e reluto, nesta terra, que de terra nada tem.
Um "espaço"
Cada vez mais robótico, frio e insensível.
Vou tentando sobreviver, entre pedras e concretos,
Nesta gélida Selva de Pedra...
Chamada São Paulo "

=- Bruno de Paula -=

ABRIGO

" Somente tua pele,
Me aquece, neste frio interior.
Teu corpo ... Como abrigo,
Me conforta "

=- Bruno de Paula -=

11 de nov de 2009

DIVAGANDO


A "Pena",
Que me fazia companhia,
Ajudando-me a rabiscar
...Naquela noite,
Pegou-me em teus braços,
Levando-me, para mundos distantes.
Viajei entre sonhos e desilusões.
Remexi nos passados, refletidos na luz,
Que tardavam adormecer.
Lá, as horas não pesavam.
Olhei para o meu pulso,
Minha mão, ainda "a" segurava...
Minhas veias saltadas,
Ainda sedentas em escrever,
Fez-me, divagar, mais uma vez... "

=-Bruno de Paula -=

HOJE

" Hoje...
Só quero jogar conversa fora...
Não quero diálogos sérios,
Tipo aqueles...Pseudo-intelectuais!
Não pretendo assustar a criança,
Que hoje...
Está dentro de mim "

=- Bruno de Paula -=

10 de nov de 2009

LUZ QUE ME ILUMINA


" Teu brilho, que de tão longe vem,
Ilumina meu ser, meu querer.
Tua essência, que guarda um lindo anjo,
Faz-me, transpirar serenidade .
Tua luz, que cega minha escuridão,
Liberta-me, das correntes da solidão...
Abrindo as janelas dessa paixão.
...Corações, não se esbarram por acaso.
Hoje...
Não consigo sobreviver, sem você.
Teu amor, se fez sonho...
Um sonho lindo, de se viver "

= - Bruno de Paula -=

Este poema, dedico a você, meu Anjo.
(Kassynha)
Te beijo

9 de nov de 2009

CAMINHANDO ENTRE SILÊNCIOS

" Entre passos lentos e tênues,
Flutuo em meio aos teus silêncios,
Mais longos, curtos e dolorosos.
Imerso em teu silêncio, decifro,
Sons que não ouves.
Olhares discretos a ti endereçados.
Sensibilidades que não pressentes.
Tecendo meus pensamentos,
Busco na memória,
O cheiro do teu perfume,
Sussurros da tua voz.
Tua ausência ... Lembranças levou.
Sem resposta, caio no vazio.
Caminhando entre os teus silêncios,
Morro aos poucos, eternizo minha solidão "

=- Bruno de Paula -=

8 de nov de 2009

DUALIDADE

" Ah... Quem me dera!
Se mais de uma vida, eu tivera...
Passaria de uma vida para outra,
Como se troca de roupa "

=- Bruno de Paula -=

EM MINHAS MÃOS

" Não tenho o tempo em minhas mãos.
Apenas, o meu chão, que por vezes,
Tange, entre a razão e a emoção.

Não tenho o talvez, no coração.
Somente o sim e o não,
Amor ou ilusão.

Tenho medo das palavras.
Que jogadas ao vento,
Podem machucar.

Tenho medo de olhar pra trás
E não poder, mais voltar.
Perder a ponte entre nós.

... Só espero
Que o tempo não me faça
Ter a dúvida, em minhas mãos ..."

-=Bruno de Paula -=


DESEJO


Foi...
Desnudando tuas fantasias.
Mapeando teu corpo, com o meu corpo.
Provando teus mais ardentes desejos,
Que eu descobri, o que havia dentro de mim.
...Um insaciável desejo de Ti "

=- Bruno de Paula - =


7 de nov de 2009

ENTREGA

" Faça ...
Dos meus lábios,
Portal dos teus desejos.
Do meu corpo,
Tua maior fantasia.
Do meu coração,
Teu abrigo.
Das nossas almas
Um encontro.
Do que me ofereces,
Um amor verdadeiro... "

=-Bruno de Paula -=

TE ESPERO

"Do nosso reencontro
Da esperança do teu olhar
De tocar a tua pele
Do teu amor me declarar...
Traga consigo, o meu sorriso...
Que na despedida, deixei contigo.
Devolva-me alegria,
Que se perdeu dentro de mim.
Desperte meu coração,
Que na tua ausência, adormeceu.
Enxugue minhas lágrimas,
Sempre presentes na minha solidão.
Devolva-me...
A leveza da minha alma
A vontade de amar
A razão de viver..."

=-Bruno de Paula -=

6 de nov de 2009

LÁ FORA


" Já é noite...
Na sacada do meu quarto,
Fecho os olhos, pensamentos se calam.
Ouço os ventos tocarem as folhas.
Folhas tilitando, ao sabor da voz do vento,
Parecem nada me dizer
Ao mesmo tempo, tudo dizer
Neste instante...
Um frio, seguido do medo.
Medo de poder dizer, ouvir e sentir.
Me vejo alí,
Inseguro de sonhar,
Com que quero, com o que sinto e gosto.
Meus desejos querendo saltar, gritar e ...
Já minha alma...
Simplesmente sentir"

=-Bruno de Paula -=

A CONQUISTA


" Dos sonhos realizados,
Conquistar teu coração...
Foi o mais importante de todos "

=- Bruno de Paula -=