Seguidores

30 de mai de 2012

(...)


" (...) De cinza,
se vestiu a manhã,
relutando em despertar.

De melancolia,
se vestiram meus versos,
vendo a chuva passar ...

Longa e triste.

=- Bruno de Paula -=

25 de mai de 2012

(...)


" Quase tudo se foi ...
Mas o céu, ainda continua o mesmo. "

=- Bruno de Paula -=

24 de mai de 2012


" (...) São nas noites de estrelas e, de almas nuas,
que os jardins da saudade,
exalam o mais doce perfume e,
entoam as mais lindas canções. "

=- Bruno de Paula -=

22 de mai de 2012

NÓS ...


" Nós.
Quão infinita, é essa pequena palavra ...
Os dias, hão de trazer rugas e cansaço.
O tempo, há de levar nossas memórias e,
tingir de branco nossos cabelos.
Mas nada conseguirá tirar a força e a doçura,
de tuas palavras,
quando murmuras ao meu ouvido ...

- Por todo o sempre, nós ! "

=- Bruno de Paula -=

21 de mai de 2012

(...)


" (...) E se tiver que ser, que seja ...
Mas que seja um amor de verdade.
Um amor de corpo e alma. "

=- Bruno de Paula -=

16 de mai de 2012

(...)


" (...) Na procura de um olhar, pelo meu olhar ...
Senti o que um coração não sente, 
quando, olhos que amam, não vêem. "

=- Bruno de Paula -=

14 de mai de 2012

POETA MAR


" Alma de infinitas vozes.
Cravas em tua pele,
safiras e esmeraldas.

Em noites de poesia,
despes os dias,
vestes o luar. "

=- Bruno de Paula -=

12 de mai de 2012

(...)


" Amanheço dentro de mim ...
Caminho lentamente,
observando o que o tempo guardou de mim.
Quase meio século e, nada além,
de espaços ociosos,
saudades e arrependimentos. "

=- Bruno de Paula -=

11 de mai de 2012

A CÉU ABERTO ...


" Meu coração ... ?
Já foi um armário com poucas gavetas,
exposto em um quarto escuro,
repleto de fechaduras.
Hoje, meu coração
é um varal a céu aberto,
onde repousam :
Meus sorrisos,
minhas dores,
minhas saudades,
meus desejos,
minha liberdade.
Com espaço suficiente
para abraçar o mundo,
tocar as estrelas,
viver meus sonhos. "

=- Bruno de Paula -=

6 de mai de 2012

CALMARIA


" Nesta noite,
meu silêncio se faz mar sem ondas.
Dentro desta calmaria de sentimentos,
meus pensamentos sopram as velas do tempo.

Navego de encontro ao passado,
ignorando os ventos,
distanciando-me do presente
a procura de um olhar.

Nesta dolorida paz,
ladeada de ausência,
ouço o choro da saudade
que ecoa no horizonte.

Destino de sonhos perdidos,
onde a esperança jamais atracou.
Viajo neste deserto salgado,
morada de minhas lágrimas. "

=- Bruno de Paula -=

EU SEI QUE PASSA ...


" Eu sei que passa
Tudo passa !

Uma paixão
Uma saudade

Um sonho
Uma realidade

Passa o presente
Passa o passado

Mesmo sem você
Tudo passa

Passa passando ...
Só que muito sem graça "

=- Bruno de Paula -=