Seguidores

28 de fev de 2011

ÉS PARTIDA


" Saudade
Com palavras, me iludes.
Com imagens, me cegas.

Saudade
Não me és, chegada
És partida ... "


=- Bruno de Paula -=

27 de fev de 2011

O QUE SERIA ...


" O que seria da Poesia ...
Se todos os olhos,
Tomassem a mesma direção
E as almas, o mesmo sentir ? "


=- Bruno de Paula -=

BASTA ...


" Basta fechar os olhos,
para sentir-te.
Acordar,
para sonhar-te "

 
=- Bruno de Paula -=

26 de fev de 2011

SAUDADES DE NOSSA JANELA


" Sinto saudades
De nossa janela, quando crianças.
Lembro-me,
Que em noites de céu azul,
Chamavas-me para debruçar
Sobre o nosso pequenino horizonte.
Mostravas-me a lua;
As luzes da cidade;
Apontavas-me as estrelas.
Por horas, nossos olhos brilhavam ...

Dizias-me :
Veja, como o mundo é alegre ! "


=- Bruno de Paula -=

25 de fev de 2011

ONTEM ... HOJE ...


" Sobra-me espaço
Dentro de meus silêncios.
Passado e pensamentos,
Se diluem nesta imensidão.

Sob o olhar do tempo,
Morrem meus dias.
Sob o olhar faminto da saudade,
Morre teu nome em meus lábios.

Ontem ...
Negaste-me um sonho
Hoje ...
Deste-me a solidão "


=- Bruno de Paula -=

24 de fev de 2011

NÃO ME IMPORTO ...


" Coloco meus pés na estrada
E desejo-me sorte ...
Muita sorte !
Não me importo, com o que deixei
Me importa
O que comigo ficou "


=- Bruno de Paula -=

23 de fev de 2011

MORAS ...


" Só quero dizer-te ...
Que não moras em um Poema
Ou dentro de uma Saudade.
Moras num lugar mais seguro "


=- Bruno de Paula -=

22 de fev de 2011

QUANDO ENTREGUE ...


" Tudo fica muito próximo ...
Quando entregue a distância de uma prece "


=- Bruno de Paula -=

17 de fev de 2011

VOCÊ TEM UMA NOVA MENSAGEM



" Te espero em Moema
No Fran's Café.
Percebas ...
Não é um convite qualquer.
Estou com saudades do teu perfume;
Do azul do teu sorriso;
Das nossas mãos entrelaçadas;
Do gosto do café e da canela;
Dos teus lábios,
A um olhar de distância;
E até mesmo ...
Do teu beijo de despedida "


=- Bruno de Paula -=

14 de fev de 2011

ESPELHO D'ÁGUA


" Meu olhar nasce de teu olhar.
Em ti, meus pensamentos se diluem.
Vejo-te em meu rosto,
Imagem viva de que sou.
Neste espelho, não há passado
Não há futuro.
Apenas o presente,
Me olhando inerte.
Sempre serás reflexos de Narcisos
Imagem que me transporta
À imensidão do meu nada ... "


=- Bruno de Paula -=

O SILÊNCIO DE UMA ESPERA


" Tarde cinzenta
Ventos uivantes, ruas desertas
Frio de inverno em plena primavera
Retrato da solidão.

Sutilmente
A chuva vem me tocar
De leve me beijar
Suavemente me abraçar.

No desejo de compensar ...
O silêncio de uma espera
O vazio de um coração
A saudade de uma paixão "


=- Bruno de Paula -=

12 de fev de 2011

SALGADAS SAUDADES


" Saudades ...
Que molham meus sorrisos
Salgam minha face ... "


=- Bruno de Paula -=

2 de fev de 2011

EM TI ... MORA MINHA SAUDADE


" O sol ...
Se aconchegando por entre os vales.
O fim de uma tarde ...
Se entregando ao azul do céu.
A brisa fresca das noites ...
Acariciando nossos cabelos.
O marulhar das ondas ...
Nas noites de luar.
É isso que me lembras,
Quando me chegas em pensamento.
É em ti ...
Que mora minha saudade "



=- Bruno de Paula -=

DE QUE ME SERVE O SILÊNCIO ...



" Silêncio ...
De que me serve ?
Se ele nada desperta
A não ser mais silêncio ... ?
Ah ! Como invejo o silêncio das noites !
Pois é o único ...
Que consegue despertar as estrelas "


=- Bruno de Paula -=