Seguidores

16 de nov de 2009

PORTO SEGURO


" Já cansado e desiludido deste mundo,
Lançei ao vento, as velas dos sonhos.
Navegando em mar aberto e sem destino ...
Tempos à deriva, em meio as tempestades,
O mar, fez-me aportar em teus braços.
Fazendo-te,
o meu tão sonhado refúgio.
Trazendo ...
Nos olhos ... As cores do arco-íris.
Na voz ... O sussurrar do vento.
Nas mãos ... Afagos feito brisa.
No ombro ... a força de um rochedo.
No colo ... a maciez da areia,
Onde alí adormeci,
Não querendo mais partir ... "

=-Bruno de Paula -=

Um comentário:

  1. Ah...o Amor...esse tão anelado sentimento...que impulsiona todo Ser Humano, a "se lançar" em busca de um "PORTO SEGURO".

    Nessa rota dual onde há oscilações entre sonho e realidade, a Amizade muitas vezes tem sido a bússula,que nos traz direção...
    Assim é você Bruno e tua poesia...

    "Nunca se chega ao porto. Mas quando duas rotas amigas coincidem, o mundo inteiro então nos parece o anelado porto."( Hermann Hesse)

    Feliz por todas as "coincidências"...Te beijo!!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.