Seguidores

26 de jan de 2012

PESCADOR DE ALMA SOFRIDA



" Cabeça caída em braços sofridos.
Olhar e mãos vazias,
que se fundem às águas do rio.
Pescador de alma sofrida,
fé esquecida pelas margens da Vida.
Sem sonhos para pescar,
sem futuro para sonhar,
onde aportar ... ?
Resta-lhe a solidão,
que inunda como as cheias,
o que lhe resta do coração. "

=- Bruno de Paula -=

Um comentário:

  1. Perfeita reflexão...
    Muitas vezes morremos pra nós mesmos. Se houver um tempo de retorno, é possível voltar... Carregando uma alma cansada, entediada de tentar, de sonhar, de buscar por labirintos e paradoxos, até sentir novamente o coração vibrar... quem sabe com a mesma plenitude de antigamente seja possível aprender a sonhar, voltar a amar...
    Um grande abraço! Boa noite!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.