Seguidores

26 de jan de 2012

AGRADA-ME


" Agrada-me
perambular na plenitude
de um vazio,
de um nada qualquer.

Despojar pensamentos
na dissecação do vagamente.
Demolir o cepticismo,
tão somente.

Esculpir degraus em abismos,
sobreviver na escuridão.
Renascer nas primeiras horas,
de cada novo dia. "

=- Bruno de Paula -=

Um comentário:

  1. Poema que lê minha plenitude, houve um tempo que não existe... Tudo parou de pulsar... um vazio na trilha da vida sem você em mim... Nunca fomos, nunca seremos... agora sei deste vazio, meu eco é uma busca sem fim... Conformada com a mesmice de qualquer tanto faz, para que permaneça qualquer lembrança calada em mim... Nada mais resta que um adeus a calar.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.