Seguidores

11 de jun de 2012

ETERNA BUSCA


" Nasci do nada
Do eco de um choro
Do grito de uma vida

Caminhei por estradas desertas,
Formando rios com minhas lágrimas.

Realizei sonhos sem donos.

Fui insano, fui escasso
Fui intenso, fui amor.

Já me vesti
Do vento de outono
Da primavera perfumada
Do inverno das saudades
Do verão das paixões.

Sou
O que o tempo me ensinou.
O poema da minha dor.
Sou a eterna busca
De quem, Eu sou. "

=-Bruno de Paula -=

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.